Se queres ser Artista não vais a lado nenhum

Oooora bem…se tivesse que contar pelos dedos as vezes que já ouvi ou li isto, os das mãos e dos pés não chegavam para tudo.

Porque embora todos os meus amigos exclamem com espanto “Uau foste tu que fizeste isso? Quem me dera, não tenho jeitinho nenhum”, nenhum deles mesmo com o tal “jeito” arriscaria a uma carreira artística. Porque, por definição, Artista é pobre, e a maior parte dos grandes nomes só foram reconhecidos depois da morte.

Perspectiva (des)animadora

“Olha Filho desculpa eu sei que querias ir fazer o Erasmus mas a Mãe é artista e não tem dinheiro pra isso. Vamos antes ali ao Parque da Paz.”

Este DEFINITIVAMENTE não é o discurso que vou querer ter daqui a uns anos.

Agora perguntam vocês “Mas tu vives da tua arte?”. Não, não vivo. O meu percurso podia ter sido outro, mas como fui cabeça de alho chocho, tinha pressa para ser crescida e ter várias coisas, arranjei logo uma data de responsabilidades que dificilmente me permitiriam não trabalhar, inclusive tirar a carta de condução e afins. Como nunca tive medo de trabalhar, lá me fui safando, e estou na mesma empresa faz este ano 9 anos.

Mas tu até tens um curso

Sim, eu estudei para ser Professora de Educação Visual e Tecnológica! Haverá afinal uma luz ao fundo do túnel para outros Artistas como eu?? Embora E.V.T. seja aquela disciplina que a malta adora ou detesta (e acho que isso não tem tanto a ver com jeito ou falta dele, e sim com o modo de ensino), eu sou uma pessoa que gosta de ensinar em geral, gosto da lidação com crianças, e tenho “jeito” para as artes e coisas criativas por isso a escolha de Profs de E.V.T. parecia-me lógica.

As coisas nem sempre (quase nunca) correm como pensaste

Infelizmente, quando terminei o curso o Ensino em Portugal estava uma miséria, a minha primeira colocação foi num horário parcial em Braga, pelo que pagar um quarto e suas despesas + deslocações + as responsabilidades que já tinha, com um salário que nem chegaria aos 200€ estava completamente fora de questão, e declinei aquele trabalho.

Entretanto a vida foi tomando outros caminhos e mesmo não sendo o que tinha planeado inicialmente, gosto do que faço agora e a algum custo consegui conquistar a minha independência.

E o que é que tu queres afinal?

Bom…faz parte da minha natureza ser muito indecisa. Agora gosto de amarelo, mais daqui a bocado gosto de azul. Tenho lutado tanto com isso que nem imaginas!! Isso fez-me desenvolver mecanismos de estudo mental (e às vezes com recurso a suporte escrito) que me obrigam a analisar e re-analisar as várias opções que tenho e quais são as possíveis consequências.

Em relação ao meu canal no YouTube por exemplo, comecei pela maquilhagem, já fiz cabelo, já fiz hauls de roupa, e agora estou na organização e nas artes.

Se é p’ra fazer, manda-te de cabeça

Penso que é por aí que vou ficar, estou a dedicar-lhe toda a minha energia pelo menos, e embora isso não se traduza em tantos post’s aqui no blog (também porque estou a tirar o curso de formação de formadores e tenho ainda menos tempo do que tinha antes, o trabalho artístico, seja em que área for, é sempre moroso.

Tens que queimar muita pestana, fazer muitas tentativas, muitas versões da mesma coisa, até obteres o resultado que mais gostas. E ainda assim, nunca vais achar que está 100% bem (defeito de artista…).

MASSS! Vale tanto a pena. Quando terminas o trabalho olhas e dizes “fui eu que fiz isto 😍”. E é mais ou menos como depois de termos um filho, esquecemo-nos das dores do parto, dos pés inchados e dos 9 meses de retenção de líquidos e enjoos e observamos aquela obra de perfeição à nossa frente.

Acho que estou no bom caminho

Então, tenho duas coisas muito importantes para te dizer:

Um, que a vida dá 300 000 voltas, nunca vais acabar no sítio que tinhas imaginado inicialmente;

E dois, que em tudo aquilo que fazes, planeado ou não, sê fiel a ti próprio, não cedas a pressões e faz de coração.

Podes não acabar com uma plateia de centenas a aplaudir-te, mas vais com certeza ter muitas aventuras para contar, e uma riqueza interior enorme, comparável apenas ao brilho nos olhos do teu filho quando ele te disser “Mãe quero ir fazer trabalhinhos contigo!”.

Boa semana para ti

Abreijos,

Margarette

Anúncios

4 Comments Add yours

  1. ilidia diz:

    Não está fácil! Aliás, nunca quis ser professora 😀 e hoje, sou designer de comunicação visual, web designer, formadora e instrutora EAD na Udemy e agora, estou a dedicar à Hand Lettering. Vamos lá ver como corre! Ah, é verdade! Adoro tirar fotografias! 😉

    Liked by 1 person

    1. Não Ilídia nada fácil, mas se fosse fácil também não tinha piada! Hehe. A vida dá voltas realmente. Muito sucesso para os teus projectos! 🤗

      Gostar

  2. Miss DeBlogger diz:

    Quando eu era mais nova queria ser uma “artista famosa”, mas a minha mãe dissuadiu-me disso quando me disse que os artistas não tinham futuro! Discordo, mas de facto é muito difícil ser autosuficiente. Parabenizo quem nada contra a maré atrás dos seus sonhos 🙂

    Gostar

    1. E há muitas maneiras diferentes de se ser Artista, e acho que o conceito do “artista esfomeado” está um bocadinho desatualizado! Mas enfim, a opinião popular continua a ser essa…há que ser perseverante! 😉

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s